MUNDO DIGITAL E EDUCAÇÃO

MUNDO DIGITAL E EDUCAÇÃO

02/12/2019 Amor e Luz 0

Segundo Alcione Albuquerque, é impossível impedir a marcha do progresso, pois se trata de um princípio de evolução que a tudo e a todos arrasta. Determinantemente. Por outro lado, o mau uso das conquistas alcançadas é sem dúvida um vício básico dos seres em evolução, ou seja, nós os humanos.

A repetição dos mesmos erros torna-se uma neurose, o conhecido círculo vicioso. Mas então não é mais a TV da Besta do Apocalipse? Ao que tudo indica é a internet sua mais nova parenta que vem ocupar o lugar do Horror. As opiniões, como sempre, se dividem entre os prós e os contras, como se algo houvesse no mundo que pudesse escapar a esta crítica. Tudo na face da Terra tem pontos positivos e negativos. Depende do uso que façamos, ou seja, depende do utilizador. Se este ser humano assentado à frente de sua maquina ou qualquer outra, diga-se de passagem, é alguém educado, ciente de sua capacidade de escolher, sujeito da sua vida a qual valoriza, com certeza saberá selecionar programas, rotas, caminhos e, ao verificar os sinais de perigo poderá se defender. No caso do computador basta um click, como também da TV. Às vezes o click nem é físico, mas sim mental.

Clicamos, ou seja, farejamos, intuímos que algo “Não Cheira Bem”, e ai agimos com cautela, damos um tempo, perguntamos a quem sabe mais que nós, e só então, continuamos ou paramos onde estamos. Não somos obrigados a nada que não escolhemos, este é o princípio do livre arbítrio, livre expressão ou livre escolha são sinônimos. Então, porque temos assistido a tantos dissabores que nos alcançam via Internet?

Um dos motivos é a ausência da construção da critica, pois não estamos acostumados a pensar, a emitir opinião, a enfrentar opiniões divergentes ou até convergentes. E sem o pensamento crítico ficamos extasiados diante das novidades e …frágeis.

Outro motivo, o modismo cultural, ou seja, “o que está em uso”. Neste caso usar o bom senso, pois segundo Paulo, o Apostolo, nem tudo convêm. Devo analisar a novidade e concluir se aquilo agrega valor aos meus valores fundamentais e assumi-lo.

Mais um motivo é a nossa curiosidade às avessas, ou seja, nossa tendência ao voyeurismo. Trocando em miúdos, gostamos de olhar pelo buraco da fechadura… do vizinho.

É feio, mas toda correção principia pela admissão. São às avessas visto que a curiosidade em si é um princípio científico, onde fazer a pergunta amplia conhecimentos, mas o olhar diferente só e capaz de aumentar a audiência dos chamados “Realitys Shows” em nosso mundo.

Este instrumento de comunicação on-line, que atravessa oceanos, vence distâncias, reúne pessoas, estabelece troca de informações, tende a transformar-se em perda de tempo ou troca de informações menores, portas abertas para diferentes vícios: sexuais, de drogas e até mecanismos de morte, onde as invasões de privacidade atingem níveis altos e prejuízo geral.

Há urgência na educação do homem, onde a educação geral deve ser permanente sobre o corpo físico como forma de qualidade de vida, levando o homem a aprender a pensar e nos espíritas desenvolver sua verdadeira origem e destino.

Extraído da Revista Delfos – por L.F.

CLOSE
CLOSE