JESUS E OS GRUPOS DE AMIGOS

JESUS E OS GRUPOS DE AMIGOS

28/01/2021 Juventude 0

À época de Jesus, era comum os viajantes hospedarem-se na casa de desconhecidos que lhes acolhiam gratuitamente. Como havia pouquíssimos albergues, que em geral viviam lotados, essa prática era a única forma de se obter abrigo durante uma viagem.

Jesus, para treinar seus discípulos na divulgação de seu Evangelho, ordenou-lhes que viajassem por um tempo e pregassem os seus ensinamentos.

No dia da partida, reunidos, Jesus lhes disse:

– Em qualquer cidade ou aldeia que entrarem, informem-se sobre quem é digno nela, e fiquem lá até que seja hora de partir. E, ao entrarem na casa em que se abrigarem, digam: paz seja nessa casa. E se naquela casa o merecerem, irá sobre ela a nossa paz, mas se ela não o merecer, voltará para nós a nossa paz. E caso alguém não os queira em casa, e nem ouvir o que tenham a dizer, ao sair da casa ou da cidade, sacuda o pó de seus pés.

Esse ensinamento ainda é muito válido.

Quantos jovens entram em grupos de amigos com os quais não se afinizam só para serem “descolados”? E com isso não são respeitados, perdem a própria identidade, praticam atos imorais ou ilícitos e perdem a própria paz de consciência.

Quantos jovens frequentam universidades com as quais não se identificam para formarem-se em cursos que supostamente lhes darão um futuro profissional de sucesso? E com isso sufocam os próprios talentos, desanimam frente às dificuldades e angustiam-se perdendo a própria paz.

Quantos jovens frequentam academias para terem o corpo sarado em busca de um suposto ideal de beleza? E com isso exageram exercícios, usam substâncias tóxicas, realizam procedimentos estéticos perigosos e perdem a própria paz interior porque nunca estão satisfeito com o corpo exterior.

Quantos jovens se deixam afundar nas drogas, no álcool, na promiscuidade por terem medo de dizer “não”? E com isso viciam-se buscando a paz de espírito em doses cada vez maiores, quando não adoecem e morrem.

Quando Jesus disse aos seus discípulos para se informarem em qual casa há pessoas dignas, ele quis dizer que nós devemos procurar grupos de amigos com quais temos valores comuns. Ao entrarmos, devemos ser sinceros e vivermos em paz com as pessoas desse grupo. Se por acaso, após entrarmos, descobrirmos que os valores se alteraram ou que nós nos enganamos sobre aquelas pessoas, devemos nos retirar, em paz, sem medo, deixando para trás o “pó”, ou seja, aquilo com o qual não concordamos.

Jesus sabia que o mundo é feito de grupos formados por pessoas afins entre si. Mas o Mestre também sabia que muitas pessoas se deixam levar por esses grupos, por temerem se afastar e perder as amizades. E com isso, essas pessoas perdem a própria paz de consciência, pois se tornam quem não são.

Jovem! Jamais tenha medo de sair daquele grupo que te faz mal, seja ele qual for. Você não precisa sair “brigado”. Saia em paz consigo mesmo desejando a paz para aquelas pessoas. Se hoje elas não estão aptas a entenderem a sua atitude, um dia a vida lhes mostrará a verdade. E com isso, você evitará muitos problemas futuros, porque só vale a pena estar em um grupo que te aceita e te respeita como você é.

Vinicius Del Ry Menezes

CLOSE
CLOSE