JESUS E OS BONS FRUTOS

JESUS E OS BONS FRUTOS

04/02/2021 Juventude 0

Há dois mil anos, na época de Jesus, eram comuns as seguintes situações:

– políticos corruptos tomarem decisões que privilegiassem os seus próprios interesses em detrimento do povo sofrido.

– líderes religiosos, em especial os fariseus, exigirem o cumprimento de rituais sem sentido e o pagamento do dízimo por parte de seus seguidores, desvirtuando os ensinamentos espirituais em favor próprio.

– comerciantes ricos lucrarem altas somas por meio de negócios ilegais.

– agricultores explorarem os seus servos em rudes trabalhos nas plantações.

Mas também há dois mil anos, eram comuns essas outras situações:

– políticos honestos levantarem as suas vozes nas tribunas em favor dos menos favorecidos, abrindo caminho para leis mais justas e igualitárias no futuro.

– líderes religiosos servirem de exemplo digno a seus seguidores, despertando a fé e a esperança naqueles em que o desespero já tomara conta.

– comerciantes ricos ampliarem negócios honestos gerando empregos dignos.

– agricultores distribuírem os excessos da produção do campo com seus servos famintos.

O problema, em si, não é a política, a religião, o grande produtor. Desde sempre, o mal e o bem estiveram lado a lado.

O problema é o que cada pessoa faz no ramo em que escolheu atuar.

Por isso, durante o Sermão da Montanha, Jesus disse:

– Assim, toda árvore boa produz bons frutos e toda árvore má produz maus frutos.

O fato de algumas árvores más produzirem frutos ruins não justifica cortar todas as árvores do mundo, assim como o fato de haverem políticos, líderes religiosos e produtores ruins não justifica a destruição de todos esses sistemas.

Jesus deixa claro que todos esses sistemas precisam ser reformados retirando-se somente as árvores más e não todas elas, quando diz:

– Toda árvore que não produz bons frutos será cortada e lançada ao fogo.

Nós, que já temos a capacidade de reconhecermos os frutos ruins produzidos por esses sistemas, podemos, e devemos, trabalhar para que essas árvores sejam substituídas.

Porém, essa substituição não pode ser feita por meio da violência. Mesmo porque a violência em si é um fruto ruim de uma má árvore.

Na história da humanidade há inúmeros exemplos de pessoas que produziram bons frutos, mudando sistemas inteiros, como Martin Luther King, Gandhi, Mandela, entre outros.

Jovem! Hoje, colhemos os bons frutos produzidos pelas gerações passadas. Claro que ainda há árvores más produzindo frutos ruins e que precisam ser substituídas. Mas é da lei do progresso que o bom substitua o mal, sempre. Por isso, cabe a nós, que já reconhecemos o que é ruim, substituí-lo pelo bom, para que as gerações futuras possam usufruir disso. Que tipo de frutos bons você deseja produzir?

Vinicius Del Ry Menezes

CLOSE
CLOSE