JESUS E AS FÉRIAS

JESUS E AS FÉRIAS

17/12/2020 Juventude 0

Naquela tarde, Jesus, após explicar aos seus discípulos que João Batista era a reencarnação de Elias, alertando-os sobre a necessidade do estudo e do trabalho, terminou a reunião do dia, dizendo:

– Venham comigo todos os que estão cansados e oprimidos e eu os aliviarei. Tomem o meu fardo sobre vocês e aprendam comigo que sou manso e humilde de coração e acharão descanso para as suas almas. Porque o meu fardo é suave e o meu peso é leve.

Após longos períodos de estudo e trabalho, é natural o cansaço físico e mental.

O descanso é necessário como forma de refazimento das forças físicas e mentais, sem as quais nenhum tipo de trabalho pode ser eficiente.

Por isso, as férias são um justo período no qual o descanso é uma consequência natural do trabalho previamente realizado.

O problema é quando as férias, o descanso justo, torna-se preguiça, ociosidade.

A preguiça é um desperdício de forças produtivas já que ela surge após longos períodos de descanso onde o refazimento das energias físicas atinge o seu auge. A pessoa descansa tanto que acumula muita energia. Porém, como não extravasa essa energia por meio do trabalho ou do estudo, essa energia acumulada torna-se um peso difícil de ser carregado, o que faz com que a pessoa torne-se cada vez mais preguiçosa. É como se fosse um carro cheio de combustível, mas com o motor engasgado com a própria gasolina.

Qual o limite entre o descanso justo e a preguiça? Cada um deve analisar em si mesmo, porque cada pessoa tem um limite físico, mental e emocional diferente e necessita de um período de descanso igualmente diferente.

Porém, nesse trecho, Jesus também se refere a outro tipo de descanso, o espiritual.

Se entre um ano e outro de trabalho e estudo é necessário um período de férias para o refazimento das energias físicas, claro que entre uma reencarnação e outra esse período de descanso também é necessário para o espírito.

Como o objetivo de cada reencarnação é fazer com que o espírito reencarnado evolua moralmente, o espírito encarnado trabalha incessantemente até mesmo nos períodos de descanso, pois a nossa mente não para de reagir ao que nos acontece.

Os problemas, as dificuldades, as inibições, os tormentos físicos e emocionais pelos quais passamos também são trabalhos pelos quais o nosso espírito evolui e, por isso, necessitam de descanso. Mas repare que nem sempre o sono ou as férias são suficientes para refazer essas energias.

Quem nunca passou por um problema e se sentiu tão desgastado que, mesmo após dias de descanso, ainda sentiu como se estivesse cansado, sem energia? O corpo físico descansou, o espírito, não.

Por isso Jesus diz para aqueles que estão cansados e oprimidos o seguirem porque os ensinamentos dele são o descanso de que necessitam.

Quanto mais problemas e dificuldades temos em nossas vidas, mais precisamos do descanso proporcionado pelos ensinamentos do Mestre Jesus, a saber: a mansidão e a humildade de coração.

Porque quem é manso e humilde não toma nenhuma ação violenta e precipitada que leva a reações imprevisíveis e desgastantes emocionalmente.

Jesus sabia que seria crucificado e mesmo assim disse que o fardo dele era leve. Nós passamos por um pequeno problema, nos irritamos, agimos com despeito, às vezes até com violência, e queremos estar tranquilos, descansados, felizes!

Estaremos tranquilos, descansados e felizes quando formos mansos e humildes de coração independente do que nos aconteça.

Jovem! Descanse sua mente e seu corpo no período de férias escolares. É justo. Mas lembre-se que seu espírito está trabalhando incessantemente pela sua própria evolução. Por isso, aproveite esse período de menor atividade para ler bons livros, meditar, orar e aprender mais profundamente os ensinamentos do Mestre Jesus. Assim, quando novos desafios surgirem, você saberá lidar melhor com eles sem precisar se sentir desgastado e oprimido.

Vinicius Del Ry Menezes

CLOSE
CLOSE