JESUS E A UNIÃO

JESUS E A UNIÃO

26/11/2020 Juventude 0

Até mesmo Jesus, o ser humano mais perfeito do planeta Terra, precisou de ajuda.

Depois de voltar de um retiro espiritual para o qual fora após ser batizado por João Batista, Jesus tomou a primeira providência de sua missão: procurou os discípulos que poderiam lhe ajudar em sua causa.

O primeiro chamado pelo Mestre foi Simão Pedro, pescador, e o irmão dele, André. Logo após, os irmãos Tiago e João também passaram a segui-lo.

Mas como a tarefa era grande, novos discípulos foram chamados: Filipe, Bartolomeu, Tomé, Mateus, Tiago Menor, Tadeu, Simão Zelote e Judas Iscariotes.

Com essa equipe inicial, Jesus pregou o Evangelho de Deus. Curou enfermos de todos os tipos. Promoveu sessões de desobsessão espiritual. Praticou a caridade em todas as suas formas e expressões.

Após sua morte, essa equipe se dividiu e cada um assumiu uma tarefa para a divulgação do Evangelho. Cada membro desse time ajudou a espalhar o Evangelho por todo o mundo conhecido de então. Foi assim que novos discípulos, homens e mulheres, abraçaram a causa, multiplicando o número de adeptos aos ensinamentos do Cristo.

Hoje, se somos cristãos, é porque aquele time inicial foi capaz de exemplificar e expandir os ensinamentos de Jesus.

Mas aí fica a dúvida: se Jesus com doze apóstolos, que realmente entenderam os seus ensinamentos, conseguiu que dois mil anos depois o seu Evangelho ainda seja lembrado, imagina se todos os seres humanos realmente praticassem as suas lições?

O mundo seria um paraíso há muito tempo.

Jesus, ao escolher aqueles doze apóstolos iniciais, homens simples, sem cultura e sem estudo, profissionais braçais, indiretamente nos dá uma lição clara sobre a união.

Nem sempre aqueles doze homens concordavam entre si. Nem sempre eles pensavam da mesma forma. Nem sempre eles entendiam as lições do mesmo modo.

Mas sempre, em todas as ocasiões, foram unidos em prol do Evangelho.

Foi essa união inicial que permitiu que, mesmo após a morte do Mestre, o seu Evangelho se espalhasse pelo mundo.

Sendo assim, podemos imaginar:

Se fossemos realmente unidos em nossa família, como seria o nosso relacionamento com nossos entes?

Se fossemos realmente unidos com os nossos amigos, como seria a nossa vida em sociedade?

Se fossemos realmente unidos em nossa sociedade, como seria o nosso país?

Se fossemos realmente unidos enquanto nações amigas, como seria o nosso planeta?

Se fossemos unidos como foram os discípulos de Jesus, estaríamos em um outro patamar, em termos de humanidade.

União, no mais alto significado dessa palavra, significa a soma de corações puros que agem em prol de todos. União acaba com qualquer tipo de divisão e gera progresso.

Jovem! Vivemos em um mundo dividido em todos os sentidos, em todas as instâncias, até mesmo com os amigos e, infelizmente, também dentro de casa. Sejamos nós, que nos dizemos cristãos, seguidores do Mestre, discípulos do Evangelho, a construir as pontes de união no lar, com os amigos, na sociedade. Unidos, mudaremos o mundo. Pode parecer utopia, mas aqueles doze apóstolos provaram que isso realmente pode acontecer.

Vinicius Del Ry Menezes

CLOSE
CLOSE