JESUS E A OBEDIÊNCIA

JESUS E A OBEDIÊNCIA

07/05/2020 Juventude 0

Certo dia, Jesus pregava seus ensinamentos no meio de uma grande multidão. Sua fama de profeta já se espalhara por toda a região, fato que despertara o medo do Sinédrio, órgão político-religioso que temia Jesus, pelo fato dele ser visto como o Messias pela população.

A antiga profecia da vinda de um Messias, o escolhido, dizia que um homem viria e libertaria os judeus da dominação. Por isso, Jesus era temido pelos representantes do Sinédrio. Não que eles se importassem em se livrar da dominação romana, mas eles temiam perder o próprio poder sobre a população pobre, já que Roma lhes dava certa autonomia de decisão, pelo menos nos aspectos religiosos.

Ávidos por dominação política, esses representantes religiosos utilizavam-se dos ensinamentos de Moisés, deturpando-os, para manterem o povo sobre as suas garras, de forma que seus próprios interesses mesquinhos fossem sempre atendidos.

Enfim, os altos representantes do Sinédrio temiam perder as vantagens e benesses que Roma lhes concedia. Por isso, temiam Jesus. Se ele fosse de fato o Messias, colocaria fim a todos os privilégios que possuíam.

Para evitar isso, os representantes do Sinédrio enviavam diversos subordinados para levantarem provas contra Jesus. Esses subordinados, então, iam às pregações e faziam perguntas ao Mestre de forma a constrangê-lo.

Naquele dia, então, após Jesus lhes ensinar mais sobre o mundo espiritual, por meio de uma parábola, um desses subordinados se aproximou e disse:

– Jesus, sabemos que você é verdadeiro e que de fato ensina o caminho de Deus. – tentou, em vão, despertar o orgulho em Cristo – Por isso, diga-nos a sua opinião sobre essa questão: é certo pagar imposto a César?

Jesus sabia que havia malícia nessa pergunta, pois se condenasse o pagamento de impostos daria provas de que sua missão era política, bem como se não o condenasse poderia ser interpretado como conivente com os crimes dos dominadores.

O que eles não entendiam, porém, é que Jesus era, sim, o Messias prometido pelas antigas profecias, mas a libertação que ele propunha não era política, mas espiritual. Jesus estava acima dessas questões políticas mesquinhas.

– Mostre-me uma moeda – pediu Jesus e, após lhe entregarem uma, perguntou: – De quem é a imagem nessa moeda?

– De César – responderam.

Então Jesus lhes respondeu com um profundo ensinamento, deixando-os desconcertados com a resposta a ponto de se retirarem, envergonhados. Jesus disse:

– Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.

Jesus, com essa frase, ensinou a obediência. A obediência tanto para as questões materiais, quanto para as espirituais, demonstrando que as leis, sejam elas políticas ou religiosas, devem ser obedecidas.

Claro que as leis políticas podem e devem ser melhoradas para tornarem-se cada vez mais justas. Mas somente quem as obedece, e sofre suas consequências, possui condições de propor-lhes alterações. Quem não obedece não tem condições morais de questionar nada.

A obediência protege. Jesus, ao responder da forma como respondeu, se protegeu, pois demonstrou obediência tanto às leis de Roma, representada pelo imposto a César, quanto às leis de Deus, representada pelos ensinamentos de Moisés.

Ao obedecê-las, Jesus pôde, durante toda a sua vida, questionar os pontos em que essas leis não estavam de acordo com a verdadeira justiça e propor melhorias; melhorias baseada em sua própria experiência ao sofrer as consequências das leis as quais estava submetido voluntariamente.

Jovem! Obediência não é conivência. Conivência significa cumplicidade a atos ilícitos. Os subordinados ao Sinédrio eram coniventes com os atos ilegais praticados por aquele órgão, por isso tentavam comprometer Jesus. Já o Mestre era obediente às leis, por isso que sua mensagem continua atual nos dias de hoje. Ao contrário da conivência, a obediência é a disciplina para o desenvolvimento de algo positivo. Por isso, obedeça a seus pais, seus professores, seus chefes, seus políticos, seus líderes religiosos. Somente assim você poderá questionar aquilo com o qual você não concorda e propor melhorias no ambiente familiar, social e profissional. Enfim, a obediência é o primeiro passo para a melhoria do mundo.

Vinicius Del Ry Menezes

CLOSE
CLOSE