JESUS E A MANIPULAÇÃO

JESUS E A MANIPULAÇÃO

21/01/2021 Juventude 0

A Páscoa se aproximava. Jesus sabia que os Fariseus intensificaram as intrigas contra Ele. Os sacerdotes e os magistrados espalhavam notícias falsas sobre Jesus, inflamando o povo contra Ele. Intrigas, mentiras, argumentos falsos e incoerentes eram compartilhados como verdades incontestáveis.

Os Fariseus eram muito bons em manipularem as pessoas. Conseguiam identificar claramente o que cada pessoa desejava ouvir e qual emoção despertar para envolvê-las em suas tramas de ódio.

A dificuldade, porém, estava em encontrar Jesus, pois o Mestre sabia como se proteger. Dois dias antes da Páscoa, os principais sacerdotes do templo reuniram-se com Caifaz, o sumo-sacerdote, e tramaram um plano para prendê-lo e matá-lo.

Eles tinham identificado que Judas Iscariotes, discípulo de Jesus, era um homem ainda materialista, que desejava ardentemente ver os romanos expulsos de suas terras. Embora amasse o Mestre, Judas não entendia como Ele ainda não havia se proclamado rei da Palestina. E foi essa informação que foi utilizada pelos sacerdotes para manipularem Judas.

Judas foi convidado a ir à noite ao Templo conversar com um dos sacerdotes. O Sacerdote, claro, recebeu-o com muita polidez e lisonja de modo que Judas pudesse se sentir orgulhoso de estar no Templo.

O Sacerdote expôs claramente a situação: queria que Judas, em benefício à pátria, entregasse Jesus para ser interrogado. Se ele fosse de fato o Messias, o Prometido, aquele que libertaria a Palestina da dominação estrangeira, essa seria a oportunidade de ouro para que Jesus se proclamasse rei, expulsasse os romanos e assumisse o trono. Caso ele não fosse o Messias, seria libertado sem problema, talvez um pouco envergonhado apenas.

Judas sempre ouvira Jesus dizer sobre o Reino dos Céus. Mas ele não entendia que isso era uma metáfora sobre a vida após a morte, sobre a espiritualidade, sobre o plano extra-físico. Ingenuamente, ele acreditava que Jesus seria sim o grande Rei que dominaria toda a nação. Essa crença, manipulada pelo Sacerdote, e mais o sentimento orgulhoso de imaginar que teria uma posição de privilégio nesse novo reino, afinal ele teria sido um dos maiores responsáveis por sua implementação, o deixaram completamente convencido de que entregar o paradeiro de Jesus seria a coisa certa a se fazer.

Mas uma voz lá no fundo de sua consciência dizia que isso era errado. O Sacerdote, percebendo a pequena dúvida que ainda pairava sobre Judas, ofereceu a ele trinta moedas, para que ele pudesse distribuir aos pobres em nome de Jesus. Essa oferta persuadiu Judas completamente porque ele gostava muito de fazer doações aos pobres. Judas tinha um sentimento genuíno de caridade em seu coração.

E assim, convencido de que Jesus se proclamaria rei, e persuadido a doar trinta moedas aos pobres, Judas entregou o paradeiro de seu Mestre.

Apenas após a morte de Jesus é que Judas percebeu que fora amplamente manipulado pelo Sacerdote. Mas percebeu isso tarde demais.

Dois mil anos depois, muitos políticos, líderes religiosos, professores, e até pais e mães ainda se utilizam desse tipo de manipulação para obterem o que desejam, sem se importarem em iludirem seus eleitores, fiéis, alunos e filhos.

Tanto é que o apóstolo Paulo, de Tarso, em carta aos Colossenses adverte sobre essa prática ao escrever: “Tenha cuidado para que ninguém te faça presa, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo, e não segundo o Cristo”*.

Jovem! Jesus, mais do que qualquer outra pessoa nesse planeta, incentivou a liberdade de pensar e de sentir por si próprio, aprendendo com as consequências das próprias decisões, crescendo pelos frutos do próprio trabalho. Por isso, não se deixe dominar e nem manipular por pessoas que querem te ver submissas às vontades e caprichos delas. Analise e raciocine sobre os fatos apresentados e os argumentos expostos. Na dúvida, pergunte-se: isso me fará crescer de forma saudável, enquanto ser humano, ou apenas fará o outro sentir-se orgulhoso e envaidecido? A resposta te dirá se você está sendo manipulado ou não. 

Vinicius Del Ry Menezes

* para aprofundar esse tema, sugere-se a leitura do capítulo 58, Em Honra da Liberdade, do livro Palavras de Vida Eterna psicografado por Chico Xavier e ditado pelo espírito Emmanuel.

CLOSE
CLOSE