COMPLEXOS

COMPLEXOS

06/01/2020 Amor e Luz 0

Os diversos tipos de complexos psicoemocionais são consequências de limitações de natureza moral, decorrentes de sucessivas experiências limitadoras da evolução do espírito. Conhecer tais complexos e superá-los é trabalho sublime e facilitador da redenção espiritual a qual proporciona felicidade. O tratamento espiritual diante dos desvios e complexos de comportamento encontra na terapia de Jesus o meio mais eficaz: “Amar o próximo com o si mesmo”. Esse caminho tem um começo: o perdão das ofensas através do auto-perdão, onde o espírito reconhece o seu erro, aceita as consequências dele, e não os repete mais, socorrendo ainda aos que ainda não aprenderem a perdoar e superar suas limitações, todos resultantes de sentimentos de culpa, remorsos e falta de disposição para trabalhar em prol da evolução:

1 – Complexo de Peter Pan: Uma expressão decorrente do personagem criado pelo escritor James M. Barie, e que consiste em uma compulsão, em que homens e mulheres desejam manterem-se sempre jovens, e por esta razão se descuidam do papel adulto e suas responsabilidades, sem assumi-las, ou por sentir ou encontrar dificuldades, ou por não as valorizarem como deviam.

As causas provêm no geral da falta do autoconhecimento que permite avaliar e dimensionar as potencialidades psicoemocionais e a realidade ou circunstâncias da vida. As pessoas imaturas, nem sempre aceitam os compromissos e deveres destinados ao seu aprimoramento como ser humano, e reagem aos deveres, negando a realidade imposta pelo movimento cíclico do amadurecimento físico.

Como não podem evitar o crescimento inexorável, desejam permanecer no estágio infanto-juvenil e negam as exigências naturais da vida. Essa fuga pode também representar desordem ou um desajuste psíquico decorrente do tipo de lar, dos fatores educacionais profissionais, afetivos, materiais, morais, intelectuais, emocionais, religiosos e fisiológicos. No entanto tudo isso tem uma causa única: a falta de desenvolvimento do senso moral, que propicia a superação de obstáculos íntimos ou externos.

Quem busca o rejuvenescimento físico, através de cirurgias plásticas, nem sempre são portadoras desse complexo, mas é possível que as constantes necessárias cirurgias plásticas, estejam associadas a esse complexo.

A insatisfação ou a apatia profissional, em certos casos, pode se constituir em causa ou efeito do complexo de Peter Pan.

Uma vida social muito direcionada a festas e recreações, podem se constituir em uma manifestação deste complexo, onde homens e mulheres, mesmo após o casamento, comportam-se como se não existissem as responsabilidades ligadas ao casamento. Há que se lembrar que a superproteção dos pais pode causar nos filhos o complexo de Peter Pan, dependendo da estrutura da personalidade dos filhos e de suas reações a certas atitudes censuráveis dos genitores, que os impedem ou inibem a expressão de individualidade dos filhos e educandos, promovendo a falta de iniciativa, a ociosidade, a indiferença e o personalismo.

2 – Complexo de Cinderela: É um termo decorrente de um personagem de contos de fada, consiste em um desejo psíquico e emocional de certos espíritos de livrar-se de suas responsabilidades básicas, tentando para isso encontrar alguém que se disponha a sustentá-los e protegê-los, material e moralmente.

Pode ocorrer tanto em mulheres quanto nos homens cujo psiquismo nas mulheres fazem-na viverem como se estivessem à espera de um “Príncipe” imaginário, quase sempre projetado para o casamento, que não raras vezes, leva-as às decepções ou frustrações afetivas em relação aos seus parceiros.

Quanto aos homens, seus psiquismos femininos estão acentuadamente voltados ao desejo da proteção afetiva que lhes possibilite tanto a ajuda quanto a sustentação em suas atividades, isto chega a prejudicá-los em relação ao desenvolvimento psicológico e ao equilíbrio emocional, quando decorre da ociosidade, dos medos ou fobias causados por mágoas, frustrações, ressentimentos, desejos de vingança ou incompreensão da realidade da vida, podendo levar o indivíduo a projetar um modelo afetivo inexistente para a desejada satisfação.

É possível que esse modelo projetado seja encontrado em parte, aliado a outras características que venham a surpreender, de tal modo, que seja provável que os dois possam vir a estabelecer uma afeição sincera.

3 – Complexo de Édipo: Deriva o termo de uma tragédia grega escrita por Sófocles, na qual o herói Édipo, sem saber de sua condição de filho, mata o pai e se casa com sua mãe. É uma teoria psicanalítica criada por Freud, que considera que entre as idades de 3 a 7 anos o filho desenvolve um desejo incestuoso, inconsciente pela mãe, e um sentimento e intensa rivalidade e hostilidade pelo pai; na mesma forma que a filha desenvolve um apego com relação ao pai, e uma rivalidade com relação à mãe (complexo de Electra).

Esse complexo também pode ocorrer de maneira invertida: o filho sente-se apegado ao pai, em vez de à mãe, e a  apegada à mãe, em vez do pai. Devido às diversas características da natural afinidade existente no mundo das relações humanas, este é o resultado da força de atração psicoemocional ou física determinada pela sintonia ou afinidade.

Pode ocorrer que crianças tenham simultaneamente um desejo incestuoso pela mãe e que se identifique com o pai, ou também desejar ao mesmo tempo em que se identifique com a mãe. É o chamado complexo de Édipo (Édipo Complexo)

Segundo a psicanálise, o complexo Edipiano masculino é causado pelo medo que o menino tem da castração e pela identificação gradual com o pai, enquanto o complexo feminino é causado pela ameaça de perder o amor da mãe e pela identificação com ela.

Em muitos casos é possível evitar esse complexo, quando os cônjuges vivem em equilíbrio afetivo, através do respeito mutuo ou de uma convivência saudável, envolvendo harmonia e bom senso entre pais e filhos, sendo evitando manifestações de ciúme infantil e sentimentos e pensamentos que propiciem manifestações de acentuada afeição ou repulsão que possam levar a origem do complexo.

4 – Complexo de Electra: Segundo a mitologia grega, Electra induziu seu irmão Orestes a matar a mãe Clitemnestra e seu amante Egisto, depois que estes haviam assassinado o pai Agamenon e se casando. Esse complexo é a contraparte feminina do complexo de Édipo no homem, quando a filha apaixona-se pelo pai e sente ciúmes da mãe. O complexo de Electra difere do complexo de Édipo masculino quanto as suas causas de manifestação. E a predominância de psique feminina associada ao sentimento acentuado de maternidade que ameniza em muito as manifestações desse complexo, principalmente quando a filha passa pela experiência da gestação e da maternidade.

Todavia, nem sempre isto ocorre, principalmente quando existe um grau de antipatia entre mãe e filha, decorrente de fatores e diferenças individuais e outros componentes ligados ao orgulho, ao ciúme e a sensualidade.

Escrito por Emídio Brasileiro

Texto retirado da Revista Literária Espírita Delfhos

CLOSE
CLOSE